quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Câmara de Iguatu. Hipocrisia e falta de vergonha


Os 12 vereadores que compõe a base política do prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor (PSD), usando de subterfúgios para contrariar um parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), decidiram pela desaprovação das contas de gestão do ex-prefeito Aderilo Alcântara. 

Os edis, num ato de subserviência ao atual gestor, de cabresto, usaram a quebra no teto de gastos com folha de pagamento em 2016 para não aprovar as contas de Aderilo. O teto de gastos com pagamento de folha, por lei, é 54%, e a gestão do ex-prefeito fechou em 55,94%

HIPOCRISIA II

Os nobres vereadores só esqueceram de analisar os gastos com folha na gestão do atual prefeito. Em 2017, chegou a 60,77%. Em 2018, ano eleitoral, a gestão de Ednaldo continuou rasgando o teto, e fechou o ano com 58,33%. 

Vereadores que endossaram a aberração: Rubenildo Cadeira, Bandeira Jr, Eudisvan, Pedro Lavor, João Torres, Alysson, Sávio, Brenno, Marconi Filho, Rafael Gadelha, Zilfran Ferreira e Eliane Braz.

Faltou coerência. Vergonha! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário