quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Conselho de Ética da Assembleia arquiva processos de quebra de decoro contra três deputados cearenses


O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Ceará resolveu arquivar os três processos por quebra de decoro parlamentar que ainda tramitavam no colegiado. 

As ações foram abertas contra os deputados estaduais Osmar Baquit (PDT), Leonardo Araújo (MDB) e André Fernandes (Republicanos). As investigações haviam sido pedidas ainda em 2020. 

No caso de Osmar Baquit e Leonardo Araújo, os dois responderam junto um processo que envolvia troca de ofensas e acusações entre os dois parlamentares durante uma sessão plenária do dia 10 de março do ano passado.

Já André Fernandes respondia por ter divulgado, sem provas, acusações aos médicos cearenses de que eles estariam adulterando atestados de óbitos devido a supostas pressões do secretário de saúde do estado, Dr. Cabeto.

Nestes casos, foi formado um sub-conselho para receber os processos e ouvir as defesas dos parlamentares. Relator das três, o deputado Guilherme Landim (PDT) pediu pelo arquivamento, sendo acompanhado pelos demais integrantes do Conselho.


Articulações para a disputa da presidência da Câmara esquentam em Brasília


Nos bastidores de Brasília esquenta as articulações pela disputa das presidências da Câmara e do Senado.

Na Câmara, o bloco de partidos que apoia a candidatura favorita de Arthur Lira (PP-AL) somente vai discutir entre esta sexta (29) e sábado (30) a escolha do primeiro vice-presidente, um dos cargos mais ambicionados na Mesa Diretora. 

Políticos do PSL espalham que o partido estaria negociando a vice em troca do apoio a Lira, mas o próprio deputado negou essa discussão. Até porque a maioria do PSL já o apoia.

A escolha do vice é um trunfo de negociação utilizado por candidatos a presidente na reta final, a dois ou três dias da eleição.


Gestão do prefeito Ednaldo suspende encaminhamentos e fecha leitos do Hospital Agenor Araújo


A gestão do prefeito Ednaldo colocou em ação um plano maquiavélico para inviabilizar o funcionamento do Hospital Agenor Araújo.

A falta de encaminhamento de pacientes por parte da Secretaria de Saúde desde o dia 1º de janeiro para a unidade hospitalar demonstra que de fato, a intenção é verdadeira.

Ao não enviar pacientes para o Agenor Araújo, a Prefeitura de Iguatu constrói argumentos para cortar os recursos que o hospital recebe do governo federal.

Por sinal, a ação da gestão municipal pode ser interpretada como um crime contra a saúde pública municipal, afinal estão sendo fechados 25 leitos clínicos para pacientes Covid, além das cirurgias eletivas e internamentos menos graves.

Um absurdo!


sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Câmara de Iguatu aprova reforma administrativa criando mais 5 secretarias na gestão do prefeito Ednaldo


O prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor (PSD), cumpriu o prometido e enviou para a Câmara de Iguatu sua proposta de reforma administrativa.

O projeto, aprovado pelos parlamentares em sessão extraordinária desta sexta-feira (22), aumentou de 11 para 17 secretarias municipais. O placar na Câmara ficou em 12 a 5 a favor da reforma.

Além disso, a pasta da Cultura foi extinta, e agregada na Secretaria da Educação. As políticas de Juventude também foram desprezadas na mudança.

Aliás, essa reforma deve servir para acomodar antigos e novos aliados políticos, conquistados durante a campanha eleitoral do prefeito, no ano passado.

Acordos que terão que ser cumpridos, até como forma de evitar desgastes políticos em início de novo mandato. 

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Prefeitos usam vacina contra Covid-19 como peça de marketing político


Embora haja uma pressão muito forte de parte da população e de conglomerados políticos pelo avanço da vacinação contra a Covid-19 no País, a verdade é que não há como fazer muita coisa num curto espaço de tempo.

O Brasil não dispõe da matéria prima para a fabricação das vacinas. Tudo precisa vir de fora, da China, por exemplo, como é o caso da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

E enquanto não há vacinas suficientes para imunizar a população, governadores e prefeitos vão fazendo o maior carnaval em estados e municípios.

Prefeitos incompetentes que sequer são capazes de administrar seus municípios estão aproveitando a onda das vacinas para fazerem marketing político, uma forma de tentar desviar o foco para os desmandos administrativos em seus respectivos municípios. 

Iguatu é um exemplo disso. Não há medicamentos nos postos de saúde para a população mais carente, mas o prefeito não sai da vitrine, tentando capitalizar para si a vacina contra a Covid-19.

Uma vergonha!


segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

No meio da escassez de recursos e pandemia prefeitura de Iguatu gasta R$ 13 milhões com aluguéis de carros


E por falar em recursos públicos, chamou atenção da sociedade iguatuense a quantidade de recursos gastos pela Prefeitura de Iguatu com a locação de veículos nos quatro anos da gestão do prefeito Ednaldo.

Segundo o portal da transparência, o montante de recursos investido com o aluguel de veículos ultrapassa o montante de 13 milhões de reais, dinheiro que daria para a prefeitura adquirir 260 veículos novos a um preço de 50 mil reais.

No meio de tantos desmandos administrativos, há gente ganhando muito dinheiro com isso. Uma vergonha.

 

Governo do Estado estuda medidas para acabar guerra política nos consórcios das Policlínicas e dos CEOs

Os consórcios públicos de saúde vêm causando dor de cabeça no Governo do Estado, por conta das disputas políticas existentes entre os prefeitos que compõe as regionais.

Policlínicas e Centros de Especialidades Odontológicas são equipamentos de saúde criados para melhorar o acesso da população a consultas, exames e atendimentos odontológicos, no entanto, desde o início da sua formação que os consórcios vem sendo motivos de disputas regionais entre os prefeitos cearenses.

O modelo, elogiado por especialistas, tem sido alvos de batalhas políticas entre gestores municipais pelo comando das unidades de saúde. Além disso, há ainda denúncias de mau uso dos recursos, má gestão e até cabides de empregos.

Quem conhece o sistema por dentro aponta que há, inclusive, redução da quantidade de consultas às quais a população do município tem direito porque os prefeitos são adversários políticos. Um escárnio contra a população, que mereceria das autoridades de fiscalização dos recursos públicos uma atenção especial para punição severa aos seus responsáveis. 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Lei da Ficha Limpa: 95 prefeitos ainda não tomaram posse no país


Prefeitos de 5.472 municípios brasileiros tomaram posse na última sexta-feira, dia 1º de janeiro, para um mandato de quatro anos, após terem sido eleitos com a maioria dos votos válidos nas eleições de novembro.

Já em 95 municípios, contudo, os prefeitos eleitos ainda não tiveram seus registros de candidaturas deferidos e seguem impedidos de tomar posse, segundo a Justiça Eleitoral.

No Ceará, seis prefeitos eleitos não tomaram posse, e aguardam um posicionamento do Tribunal Superior Eleitoral.

Um dos casos emblemáticos é do prefeito eleito de Pedra Branca, Antônio Gois, que renunciou ao mandato em maio de 2019 para não ser cassado pela Câmara, realizando assim uma manobra jurídica para preservar seus direitos políticos.

No ano passado Gois se candidatou e venceu o pleito no município, mesmo estando com sua candidatura indeferida.