segunda-feira, 27 de julho de 2020

Pandemia abre brechas para a corrupção eleitoral no Ceará. Ministério Público já investiga vários prefeitos


Faltando mais de 100 dias para as eleições municipais, e a disputa pela conquista do eleitor já virou motivos de disputas em todos os municípios do país. 

Apesar das medidas tomadas pelo poder público de isolamento social, por conta da pandemia do coronavírus, a maior parte dos políticos está mesmo preocupada é com o pleito deste ano, e as devidas articulações para o fortalecimento de seus grupos políticos.

O período é de pré-campanha eleitoral, mas para alguns, a disputa já está nas ruas, o que tem acendido o sinal de alerta para os órgãos de fiscalização, como é o caso do Ministério Público do Estado, que até o momento já instaurou 89 investigações de possíveis irregularidades eleitorais, dentre elas 12 relacionadas às ações voltadas para a pandemia.

São denúncias e procedimentos em fase de apuração, envolvendo compra de apoios políticos, distribuição de kit da merenda escolar, além de vídeos promocionais em rede sociais e até em paginas institucionais, como é o caso do prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor.

Numa ação recente do MP, o prefeito de Iguatu foi enquadrado em ato de improbidade administrativa por ter utilizado as ações da pandemia para promover a sua pessoa.

O fato, envolvendo o gestor, rendeu uma multa equivalente a 1,2 milhão de reais.

Há casos, também sendo investigados nos municípios de Quixelô, Catarina e Acopiara.

Em pleno período de pandemia, com milhares de pessoas afetadas pelo a Covid-19, infelizmente uma grande parte dos políticos não está nem aí para o problema. Uma vergonha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário