sábado, 20 de junho de 2020

Presidente do PSB cearense Denis Bezerra, com apoio do deputado Agenor Neto, monta grupo forte para disputa das eleições em Quixelô


O deputado federal e presidente do PSB do Ceará, Denis Bezerra está determinado a levar seu partido para um dos mais altos degraus da política cearense. 

Sendo assim, o parlamentar tem buscado lideranças influentes, tanto na capital como no interior cearense, com vistas ao processo eleitoral deste ano, quando serão eleitos prefeitos e vereadores em 184 municípios do Estado.

Nesse intuito, Denis Bezerra foi buscar na região Centro Sul do Estado o apoio do deputado estadual Agenor Neto para a formação de um grupo político forte para a disputa das eleições no município de Quixelô.

Recentemente, por meio de um vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente do PSB cearense foi bastante enfático, ao reafirmar seu compromisso com o desenvolvimento de Quixelô e seu apoio à pré-candidatura de Adil Vieira, nome escolhido pelo PSB para disputar a prefeitura daquele município. 

Denis Bezerra também ressaltou a importância de eleger uma Câmara forte para Quixelô, com vereadores compromissados com o povo, e determinados a apoiar e aprovar os projetos necessários para melhorar a qualidade de vida da população Quixeloense.



quinta-feira, 18 de junho de 2020

COVIDÃO: Ministério Público investiga Prefeitura de Iguatu por supostas irregularidades em contratos sem licitação

A Prefeitura de Iguatu, Administrada pelo prefeito Ednaldo Lavor, se tornou alvo de investigações no uso do dinheiro enviado pelo Governo Federal para a prevenção e o combate à covid-19. Entre os meses de abril e maio a gestão do prefeito Ednaldo recebeu em suas contas cerca de R$ 7,6 milhões de reais. 

Acontece que, se aproveitando de um decreto de calamidade pública no município, o prefeito realizou diversos contratos com empresas para prestação de serviços e aquisição de insumos e outros materiais, todos realizados de forma direta, sem o devido processo licitatório.

Segundo o Ministério Público, dentre os procedimentos investigados pelo órgão consta um contrato realizado entre a Prefeitura de Iguatu e uma empresa distribuidora de medicamentos para aquisição de 5 mil kits de testes para Covid-19, por um valor de R$ 945 mil reais.

Em outro procedimento, o MP investiga a aquisição de cabines de higienização para desinfecção e prevenção do Covid-19 por um valor de R4 33 mil reais. O equipamento, conforme informações veiculadas na imprensa do Estado, está tendo sua eficácia questionada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – a Anvisa.

O Ministério Público também investiga a realização de outro contrato com uma empresa que alugou banheiros químicos, grades e tendas por um valor de R$ 331 mil reais. Desse valor, a Prefeitura já pagou R$ 232 mil reais.

Também se encontra sob investigações possíveis irregularidades em dispensa de licitação para aquisição de máscaras de tecido para o combate ao covid-19.


OPINIÃO: Até que ponto vai o desperdício do dinheiro público que deveria ser usado na Covid-19

Grades foram alugadas por R$ 63 mil
Em meio às dificuldades na saúde pública do município, provocada por falta de gestão e agora intensificada pela crise do novo coronavírus, não dá para compreender gastos que estão sendo feitos pela Prefeitura de Iguatu, ações que não trazem nenhum resultado positivo para a população do município.

Grades foram alugadas por um montante de R$ 63 mil (FOTO)

Um fato que tem chamado atenção da população, um contrato feito pela prefeitura de aluguel de grades de isolamento, espalhadas em algumas ruas que dão acesso ao centro comercial.

Em outro caso, a aquisição de cabines de higienização e desinfecção, um equipamento cuja eficácia está sendo questionado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – a Anvisa.

Tudo isso sendo pago com dinheiro do povo. Uma quantia que supera os 360 mil reais.

Um escândalo! 

segunda-feira, 1 de junho de 2020

MP suspeita de superfaturamento e determina que prefeitura suspenda a compra de testes de Covid-19


Os casos de suspeitas de compras superfaturadas com dinheiro federal para o combate ao novo coronavírus tem chamado a atenção dos poderes fiscalizadores no âmbito do estado e das prefeituras cearenses.

As ações, tem inclusive provocado operações da Polícia Federal. Foi o caso da Prefeitura de Fortaleza, onde as investigações apontam para a compra de respiradores com preços muito acima dos praticados por outros fornecedores.

A situação também se repete nas Prefeituras cearenses. É o caso de Iguatu.

Recentemente, através de um contrato sem o devido processo de licitação, a Prefeitura de Iguatu fechou com uma distribuidora de medicamentos a compra de 5 mil testes para Covid-19, por um valor de 945 mil reais.

O fato chamou atenção do Ministério Público local, que resolveu fazer uma comparação de preços, e viu indícios de irregularidades, inclusive com preços muito acima dos praticados por outras Prefeituras.

Diante das evidências de preços superfaturados, o órgão ministerial  recomendou que a gestão do prefeito Ednaldo Lavor suspendesse a compra.

Um fato chamou atenção no meio desse imbróglio: a Prefeitura só percebeu que os preços estavam muito acima do normal após a ação do ministério público local. No mínimo, uma situação esquisita. Uma vergonha.