quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Citação a Bolsonaro é arquivada. Depoimento do porteiro será investigado



O procurador Geral da República, Augusto Aras, disse nesta quarta-feira (30), que não há nenhum indício que vincule o presidente Jair Bolsonaro ao assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL).

Ontem, o Jornal Nacional revelou que Élcio Queiroz, que dirigia o carro de onde teriam partido tiros contra Marielle, foi ao condomínio se encontrar com Ronnie Lessa, o atirador.

Em dois depoimentos, o porteiro disse que, ao entrar, Élcio disse que iria à casa de Bolsonaro. Teria ligado para a casa do então presidente e falado com “seu Jair”.

O procurador-geral entendeu que não há fundamento nas referências ao presidente.

Ele pediu ao Ministério Público Federal no Rio que investigue irregularidades no depoimento do porteiro do condomínio à Polícia Civil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário